Translate this Page

Rating: 2.7/5 (365 votos)


ONLINE
1



Partilhe esta Página

 

 


Valorize Suas Ideias
Valorize Suas Ideias

ideias 

 

 Valorize suas ideias

Eu sou aquela pessoa que tem mil ideias ao mesmo tempo,  principalmente quando o assunto é a escrita.

 Muitas das quais acabam esquecidas em um caderno de anotações que  tenho desde a época do ensino médio.

Revendo meus cadernos

 Essa semana revi o caderno e li algumas das ideias, me surpreendi com a criatividade que eu tinha na época, óbvio que não sou o gênio supremo da escrita ou da criatividade, só que tinha ideias muito boas.

.Em outro caderno escrevi histórias típicas de adolescente percebi que  escrevia muito melhor do que escrevo hoje e precisei parar e analisar meus pensamentos.

Parte de praticar a psicologia positiva tem a ver com policiar os pensamentos depreciativos, técnica que aprendi na pós graduação em um estudo sobre o tema.

Pensar positivo

 Sim, quem diria que a baboseira do pensar positivo na verdade tem resultado. Temos o costume de nos enxergar em um patamar muito menor do que estamos, principalmente quanto às produções artísticas. 

Até bem pouco tempo me sentia constrangida quando alguém me chamava de escritora, pois não conseguia nem imaginar ser chamada da mesma coisa que um escritor famoso, não me achava digna do título.

Essa autoestima criativa atrapalha muito minha produção, pois ao me enxergar de forma inferior eu sinto medo da opinião das pessoas.

 Meu trabalho é parte de mim, eu coloco muito de mim nas páginas e, querendo ou não, tenho medo do que as pessoas vão pensar. Esse medo é uma dicotomia no meu caso, não tenho medo do que as pessoas falam sobre minha saúde mental ou das minhas características externas.

Meus trabalhos são parte de mim

 Porém  meus trabalhos artísticos mostram uma parte de mim que ninguém conhece, a parte livre, que não segue regras sociais para se encaixar, a que se expressa para não enlouquecer, então sim, eu tenho medo.

Só que a parte de monitorar meus pensamentos inclui perceber minhas qualidades enquanto pessoa criativa.

Para começar a me ver de forma mais positiva eu utilizo uma técnica que chamo carinhosamente de "word positivo", onde  escrevo somente coisas boas sobre mim.

 Os meus defeitos  estou cansada de saber agora quero perceber o que tem de bom em mim. 

Só que percebi que essa técnica também se aplica às minhas produções artísticas, preciso valorizar meus esforços.

Passei uns bons anos sem escrever achando que não era boa o suficiente ou com vergonha de mostrar meu trabalho a alguém.

 E boa parte desse tempo eu passei semi entorpecida com remédios psiquiátricos que tiraram toda a minha vontade de produzir algo criativo. 

Sinto que poderia evoluir nesse tempo em que me privei de produzir, porém nunca é tarde para se produzir arte.

Descobri a liberdade

 E perceber que  preciso valorizar a minha criatividade tem me dado liberdade para produzir sem medo, críticas que não forem me incentivar a melhorar serão ignoradas. Talvez chore sozinha com um cobertor tapando a cabeça, mas vou me abster de respostas.

Perceber que preciso trabalhar minha autoestima artística me fez ver que eu posso ser livre, porque ser criativo, é acima de tudo se expressar com liberdade. 

Todas essas regras a seguir para ter um trabalho aceito pela sociedade no fundo tiram a graça da liberdade que a criatividade proporciona.

Dar valor às ideias é não ignorá-las, é respeitar seu momento de produzir e respeitar seu gênio criativo por todas as vezes que ele te ajudou a produzir.

 Valorizar as ideias tem a ver com dar tempo ao tempo e expressar seu eu mais obscuro esperando que ninguém te odeie por querer ser você mesmo.