Translate this Page

Rating: 2.7/5 (297 votos)


ONLINE
1



Partilhe esta Página

 

 


Entrevista com Richard Diegues do Projeto Fênix
Entrevista com Richard Diegues do Projeto Fênix

 

Entrevista Projeto Fênix

https://sociedadeliterariavh.blogspot.com/2020/07/entrevista-projeto-fenix.html

 

Entrevista com o autor Richard Diegues


1- Apresente-se (biografia e o mais que queira falar).

Eu sou escritor, editor, tradutor, agitador cultural e idealizador da Coleção Fênix de Literatura Fantástica. Com mais de 30 anos no mercado editorial, já publiquei dezenas de livros e centenas de contos e novelas no Brasil e exterior. Atualmente moro na cidade de São Vicente, no Brasil, mas tenho esperanças de que após a Pandemia Global, possa retornar para Madison, nos EUA. Dentre os vários trabalhos que publiquei, os mais recentes são o livro Cordel dos Sonhos (romance ilustrado), Resvalamentos – a Chave dos Reinos (romance), Catrina e o Reino de Todos os Olhos (romance), Tempos de AlgóriA (romance), Cyber Brasiliana (romance), Sob A Luz do Abajur (contos) e Magia – Tomo I (romance). Minha empreitada mais recente é a criação e organização do Projeto Coleção Fênix de Literatura Fantástica, onde estou reunindo mais de 100 autores brasileiros e publicando e-books para leitores que necessitam de entretenimento nessa Crise Pandêmica do COVID-19, e minha meta é poder colaborar com textos de minha autoria em todas as edições.

 

2 - Como surgiu o projeto Fênix?

Quando fiquei preso aqui no Brasil por conta da Pandemia, procurei ocupar meu tempo durante a quarentena com a leitura. Após concluir várias obras que estavam em minha lista de leitura, fui procurar por outras no mercado e me descobri desolado por não conseguir encontrar e filtrar obras de qualidade. Eram verdadeiras agulhas em palheiros, então procurei pelos autores que eu estava habituado a conversar e ler seus textos e vi que a maioria estava afastada do mercado. Então me veio a ideia de reanimar essa turma e o mercado, aproveitando para criar algo de bom para todos que estavam sofrendo o mesmo processo de isolamento que eu, carentes de obras de qualidade para enfrentar esses dias monótonos da quarentena imposta pela situação pandêmica. E comecei a organizar o projeto.

 

3- Qual pode e deve ser o papel do escritor em tempos de pandemia?

Eu considero que o escritor em nada difere de qualquer outra pessoa diante dessa crise. Todos, independente de suas habilidades, devem pensar em contribuir com o bem de uma forma geral, principalmente nesse momento em que o Governo, em todas as instâncias, abandonou completamente as pessoas em todas as necessidades básicas, e obviamente a cultura foi uma das mais afetadas, por não parecer diretamente ligada à questão da saúde ou economia. Mas, falando especificamente da capacidade de escrita, acredito que é possível produzirmos obras que possam diminuir a ausência de ferramentas de entretenimento, e fazer com que a cultura alcance os que tem necessidade disso nessa fase. Podemos doar um pouco da nossa arte para minorar essa carência global.

 

4- Achas que o cenário pandêmico que vivemos pode aumentar o número de leitores?

Aos que estão respeitando o bom senso e permanecendo em quarentena, a leitura é uma ótima forma de entretenimento. Acredito que pode haver sim um crescimento do número de leitores nesse momento, principalmente pelo acesso dos livros eletrônicos ser mais simples.

 

5- E o futuro? Tens a visão de uma luz no final do túnel? 

Acredito completamente que essa crise irá passar e o ser humano continuará sobre a face da Terra durante muitos anos ainda. Acredito que em 08/11/2020 já estejamos com uma declaração da OMS afirmando o final da pandemia. Teremos pequenas mudanças de hábitos, muitos para melhor, alguns para pior. Mas a raça humana seguirá adiante, como sempre.

 

6- Espaço para considerações finais.

Quando idealizei a Coleção Fênix de Literatura Fantástica, a projetei para publicação de um novo volume a cada quinzena, enquanto durar a pandemia. Pretendo publicar 12 volumes, sendo que os dois últimos, comemorando a passagem e superação sobre ela. Espero que mais escritores se juntem ao projeto, pois juntos somos mais fortes. E isso tudo vai passar!

 

 por Ironi Jaeger