Translate this Page

Rating: 2.7/5 (365 votos)


ONLINE
1



Partilhe esta Página

 

 


Entrevista autor Georg Frey
Entrevista autor Georg Frey

Mitologia em Destaque

Georg Frey - Um mergulho no universo dos deuses e deusas

Escritor, pesquisador, criminólogo e palestrante fala sobre a série que conta a história de um clube muito especial

"Em tempos tão obscuros como esses o melhor que posso oferecer, para o meu leitor, é um lugar de paz, alegria, sonhos e muita emoção”

Shirley M. Cavalcante

Georg Frey, escritor, pesquisador, criminólogo e palestrante teuto-brasileiro. Ex-agente de inteligência da Drago e Fundador da UACH (Unidade de Análise do Comportamento Humano). Pós-graduado em criminologia e psicologia criminal, com mais de 30 anos de experiência na análise do comportamento humano. Ao longo de sua carreira, vem auxiliando pessoas, famílias e empresas, em consultorias particulares, treinamentos coletivos, cursos e workshops, no Brasil e exterior. Autor dos livros: 

• “Clube dos Deuses - As Crônicas da Deusa Freya - Volume 1”.
• “Clube dos Deuses - A Arte da Manipulação - Os Ensinamentos do Deus Loki - Volume 2”.
• “Clube dos Deuses - Aventuras no Egito da Deusa Ísis - Volume 3”.
• “O Farol de Breslau”.
• “Regras do Desejo - Sedução e Sexo das Deusas - Freya: Nórdica / Afrodite: Grega / Parvati: Hindu / Hathor: Egípcia / Kissh?ten: Japonesa / Lada: Eslava / Flidias: Celta / Brandwen: Galesa / Inanna: Mesopotâmia / Vênus: Romana”.
• “Almanaque UACH - Como Venci o Luto, a Depressão e o Suicídio”.
• “Almanaque UACH - Os Três lados da Moeda - Gestão de Riscos, Fraudes Empresariais e Contra Espionagem”.
• “Eu Sei que Você Mente! - Aprenda a Detectar Mentiras”. 

Boa leitura! 

Confira a entrevista com Georg Frey

Escritor Georg Frey, é um prazer contarmos com a sua participação. Conte-nos, o que o inspirou a escrever a série “Clube dos Deuses”? 

Obrigado por essa oportunidade. Para escrever “O Farol de Breslau”, que conta a história dos meus antepassados, comecei a estudar os deuses e deusas nórdicos: Odin, Frey, Thor, Freya, Loki... Fiquei encantando e mergulhei nas mitologias africana, celta, romana, brasileira, grega, maia, chinesa, indiana, japonesa, egípcia... Vi que os deuses tinham histórias que precisavam ser contadas. Fui além, imaginei um grande encontro entre eles, os diálogos e tramas que poderiam sair dali. Zeus e Oxalá, Ísis e Frey, Thor e Jaci, Loki e Poseidon, Freya e Benten. É muito rico! 

A série será composta de quantos volumes? Comente como o enredo será dividido. 

Já criei até o terceiro volume, mas o tanto de material, a beleza dos desdobramentos, poderá fazer chegar, fácil, aos dez volumes. Também convidarei outros autores para contribuir com a saga. Além disso, já estou trabalhando em alguns spin-off como: “Regras do Desejo - Sedução e Sexo das Deusas - Freya: Nórdica / Afrodite: Grega / Parvati: Hindu / Hathor: Egípcia / Kissh?ten: Japonesa / Lada: Eslava / Flidias: Celta / Brandwen: Galesa / Inanna: Mesopotâmia / Vênus: Romana”. Está sendo divertido e excitante! 

Apresente-nos o primeiro volume publicado “Clube dos Deuses - As Crônicas da Deusa Freya”. 

Farei melhor, vou deixar com vocês o Gênesis:
No princípio era apenas o silêncio e escuridão. Os deuses antigos vieram e criaram tudo. Muitos deuses espalharam suas sementes em diferentes mundos.
Por incontáveis eras foram absolutos. Até o dia em que começaram a ser exterminados. Cada panteão chorou suas mortes em silêncio e segredo. Nenhum queria admitir perdas, seria um sinal de fraqueza.
Buscaram vingança cega nas guerras entre eles que trouxeram ainda mais mortes. Com isso enfraqueceram e o apocalipse chegou para todos com nomes e em tempos diferentes.
Os sobreviventes fugiram e assumiram a forma humana, misturando-se aos seus seguidores.
Quando algum Deus voltava a usar os poderes, em pouco tempo, caía doente e agonizava enquanto a sua sombra avermelhava, a vida diminuía tal qual ampulheta esvaziada, era o sinal de que a morte vinha buscá-lo.
Eles passaram a chamar essa maldição de Danação Primal. Um coletivo de rancores e ódios. Medo e desconfiança fizeram moradas em seus corações, mas a sobrevivência falou mais alto e para entender o que acontecia estabeleceram tréguas, abriram mão de usar os seus poderes e criaram o Clube dos Deuses! Lá, passaram a usar os amuletos de contenção: colares, anéis e braceletes que tinham a capacidade de travar seus poderes divinos.

Em Vanaheim do Sul aprenderam a viver sem seus poderes. Alguns abraçaram atividades que traziam alegria para seus corpos e mentes. Outros afogaram o tédio e angústias em intermináveis orgias. A proximidade dos deuses possibilitou a troca de conhecimentos e desejos. Antigos casamentos foram minados por novos amores secretos. Rivalidades e alianças mudaram a cada lua.
A vida em Vanaheim do Sul oferecia de tudo, menos poucas emoções. A Morte é uma deusa vaidosa. Ela tem acordos específicos com cada deus e deusa, mas ceifa igualmente a vida daqueles que têm o nome escrito no livro da morte.
Vários deuses tentaram negociar com ela buscando a explicação para a Danação Primal, mas nada conseguiram. Até agora... 

Comente como foi a criação dos nomes que deram vida aos principais personagens da trama. 

Com os nomes dos deuses não houve nenhuma modificação, já os personagens humanos, esses passaram por um processo interessante. Comecei a escrever sem “batizá-los”, e eles, aos poucos, foram tomando forma e acabaram se apresentando para mim. 

O que mais chamou a sua atenção, enquanto escrevia “Clube dos Deuses - As crônicas da Deusa Freya”? 

Não é fácil para um cético como eu admitir, mas existe uma energia diferente, certa magia quando começamos a invocar e conversar com deuses e deusas tão antigos. Eles se impõem, saem do papel, apontam caminhos. É de arrepiar! Vou dar um exemplo, eles se encontram em uma ilha, no Atlântico Norte, próxima da Noruega, chamada Vanaheim do Sul. Eu sonhei com a ilha em seus múltiplos detalhes, acordei de madrugada, anotei o que consegui lembrar e lá estava ela, linda exuberante, perfeita! 

O que esperar da leitura desta obra literária? 

Apresentei a obra para alguns especialistas e as reações foram várias: 

• “Leitura viciante.”
• “Foi muita coragem juntar tantos deuses.”
• “Isso dará um bom filme!”
• “Você é louco por escrever isso.” 

Onde podemos comprar o primeiro volume da série “Clube dos Deuses”? 

Na Amazon (formato físico e digital), no site clubedosdeuses.com.br e em breve nas melhores livraria do país. 

Além deste livro você tem outros livros publicados, apresente-nos os títulos. 

“Eu Sei que Você Mente! - Aprenda a Detectar Mentiras”.
“Não Sorria! Estão te Enganando! - Vacine-se Contra a Fraude”. Escrito em parceria com Mouhamad Almahmoud. Quando um árabe e um judeu se unem, pode esperar coisas explosivas!
Este ano, além do “Clube dos Deuses, farei o lançamento de mais dois títulos. Não posso contar ainda, mas vocês serão os primeiros a saber. 

Quem desejar conhecer melhor o seu trabalho literário, como deve proceder? 

Venham conhecer um universo plural:
@uachbrasil
@clubedosdeuses
georg@uach.com.br 

Pois bem, estamos chegando ao fim da entrevista. Muito bom conhecer melhor o escritor Georg Frey e a série “Clube dos Deuses”. Agradecemos sua participação. Que mensagem você deixa para nossos leitores? 

Em tempo, alternar entre ficção e livros técnicos é um excelente exercício. O melhor é que isso abre a possibilidade de vários formatos de parcerias e coautorias com escritores diferentes. Já está funcionando e vai melhorar. Alguns têm me incentivado a abrir uma editora, quem sabe?
Em tempos tão obscuros como esses o melhor que posso oferecer, para o meu leitor, é um lugar de paz, alegria, sonhos e muita emoção. Sejam bem-vindos ao “Clube dos Deuses”!